Artigo oferecido por:

A atenção que cada um de nós merece por Anne Bomm

Publicado em 23/09/2009

Avalie este Artigo
5

O homem nunca teve tanta necessidade de exteriores e interiores psicologicamente agradáveis como hoje. Buscamos, incessantemente, nos ambientes de nossas habitações uma compensação para a “folia” dos tempos modernos, longe do caos urbano que se instaurou. O ser humano precisa sentir-se bem em seu habitat, no seu escritório, na loja onde trabalha, na escola onde leciona ou estuda, no condomínio onde mora, no hospital onde clinica ou se interna, no restaurante onde faz uma refeição, no bar onde se encontra com os amigos.

  O ambiente faz parte de nossa vida e reflete nossa personalidade, nosso estilo, nosso jeito de ser e de viver. A essência de cada um de nós, um mix de sonhos, memórias, afetos, gostos, traduz uma experiência de vida única. Cada detalhe de seu lar revela muito de você, desde a cor de suas paredes até os acessórios que compõem os nossos espaços.

Quantas vezes você se encantou com um ambiente num clima delicioso ainda que não soubesse identificar muito bem o motivo? Pois a resposta é simples: um espaço harmonioso tem volumes em perfeito equilíbrio, é belo e funcional, possui medidas corretas, cores adequadas, boa iluminação, boa ventilação. Embora na moda tudo mude a cada estação do ano, na arquitetura e na decoração o ritmo é outro. As novas tendências são introduzidas aos poucos nos projetos e são necessários pelo menos de quatro a cinco anos para que uma verdadeira mudança no setor seja absorvida, assimilada e passe a ser aceita e respeitada na sociedade.

O perfil da população brasileira está mudando. O lar está se tornando um centro de convivência. As pessoas permanecem cerca de 18 horas em ambientes fechados nos seus locais de trabalho e estudo. Trata-se do “encasulamento” como reflexo de desenvolvimentos tecnológicos, maior qualidade de vida e aumento da violência. As pessoas estão sentindo necessidade de ambientes confortáveis e no mínimo práticos, o dia-a-dia nos obriga a definir prioridades e uma delas está na reforma do existente ou a adequação do novo. Como conseqüência desse quadro, as pessoas investem mais na qualidade de vida e ampliam os gastos com habitação (o que engloba aluguéis, condomínio, reforma etc)..

Até a próxima.

(Anne Bomm é arquiteta, especialista em arquitetura de interiores)


Artigo criado por: Anne Bomm arquitetura ®

Avalie este Artigo

Deixe seu comentário

Avalie este Artigo

Comentários

  • Seja o primeiro a comentar

© 2009 - 2014 Construindo e Reformando Todos os direitos reservados

Página gerada em 0.027 s!