Artigo oferecido por:

Drywall

Publicado em 03/04/2011

Avalie este Artigo
3.7

História do Gesso

O gesso é resultado da calcinação da gipsita, que desidrata parcialmente para produção de um semi-hidratado.

Os mais antigos vestígios de reboco de gesso são de 9.000 anos atrás, e foram encontrados na Anatólia e na Síria. Sabemos também que há 5.000 anos, os egípcios utilizavam gesso queimado em fogueiras ao ar livre, para em seguida esmagá-lo até se tornar pó e, finalmente, misturar este pó com água para fazer um material de vedação para os blocos dos seus monumentos, tais como a bela pirâmide de Quéops, por exemplo. Os antigos egípcios usaram modelos de gesso tirados diretamente do corpo humano.

Os gregos também utilizaram gesso, especialmente como janela de seus templos, quando este tinha uma qualidade de transparência (gesso selenito). O escritor Théophraste descreveu com bastante precisão a fabricação deste gesso, como foi feito na época da Síria e da Fenícia.

Os romanos também utilizavam gesso fundido em milhares de cópias das estátuas gregas.

Capital do Gesso

O gesso é uma rocha sedimentar, que se estabeleceu através da evaporação da água do mar, capturado em lagoas. De acordo com a natureza das suas impurezas, o gesso pode apresentar várias cores, que vão do branco ao marrom, amarelo, cinza e rosa.

Ao longo dos séculos, a capacidade de calcinação da gipsita foi adquirida em muitas partes do mundo. No século XVIII, Paris já era a capital do gesso, uma vez que todas as casas de madeira foram cobertas com emplastro, como proteção contra incêndio. O rei da França tinha aplicado esta regra após o grande incêndio de Londres, que praticamente destruiu a cidade em 1666. Grandes depósitos de gesso, perto da cidade, haviam sido criados para fabricar o "gesso de Paris".

Histórico do uso do gesso

Gesso não é uma invenção moderna, como algumas pessoas sugerem. Sabemos que foi usada no antigo Egito, para estucar pirâmides. Na Grã-Bretanha, uma pesquisa realizada por Claire Gapper, estudante de doutorado no Instituto Courtauld, indica que quantidades consideráveis do "gesso de Paris" eram compradas da França durante o reinado de Henrique VIII, da Inglaterra, para o trabalho nas propriedades rurais.

Nosso conhecimento sobre a utilização do gesso antes do século XIX é limitada. No entanto, Claire mostra que ele estava sendo usado já no século XVI como cal, piso, paredes e tetos, além de estuques decorativos. Isso contrasta com a utilização do gesso nos últimos duzentos anos, quando foi predominantemente usado para a fundição de elementos decorativos, moldes e molduras, ou simplesmente a cal.

 

 


Artigo criado por: Alinhar drywall

Avalie este Artigo

Deixe seu comentário

Avalie este Artigo

Comentários

  • Seja o primeiro a comentar

© 2009 - 2019 Construindo e Reformando Todos os direitos reservados

Página gerada em 0.035 s!