Sustentabilidade em condomínios verticais

Publicado em 19/10/2011

Avalie este Artigo
5

Com os problemas do aquecimento global, a maior preocupação atualmente é aproveitar de maneira correta os recursos naturais e não prejudicar o meio ambiente. Termos como ‘ecologicamente correto’ e sustentabilidade surgiram para definir essa preocupação.

Assim, sustentabilidade diz respeito a diversas maneiras de utilizar os recursos naturais e de devolvê-los ao meio ambiente sem que isso acarrete grandes prejuízos. A partir disso diferentes técnicas e recursos foram criadas com o objetivo de criar uma rotina ecologicamente correta.

Uma dessas técnicas trata da questão de sustentabilidade para condomínios verticais, existindo várias possibilidades, que podem ser divididas em duas grandes categorias: comportamento e estrutura.

A questão do comportamento envolve:

  • Racionalização do uso de água e energia elétrica. Para economizar energia, uma maneira viável é a instalação de lâmpadas com sensores de presença, evitando que a luz seja usada sem necessidade. Já para racionalizar água, uma das maneiras possíveis é reutilizar a água da chuva;
  • Coleta seletiva de lixo. O lixo orgânico pode, ainda, ser reutilizado para compostagem, tornando-se assim adubo para hortas e jardins;
  • O condomínio pode entrar em contato com empresas de reciclagem de óleo;
  • Se houver mais de um elevador no prédio, os moradores podem organizar um rodízio para sua utilização. Além disso, é possível instalar programas inteligentes que controlam a logística dos elevadores.
  • O sindico deve estar sempre atento a manutenção predial e fazê-la de forma regular, evitando gastos elevados com reconstruções, por exemplo.

A questão de estrutura envolve a escolha de materiais que não agridem o meio ambiente. Alguns exemplos de materiais sustentáveis são:

  • Tijolos de solocimento, que são produzidos sem o processo de queima e, ainda, evitam quebra de paredes e desperdício de materiais;
  • Telhas brancas, que reduzem a temperatura interna do ambiente e, consequentemente, dispensam a utilização do ar condicionado, mais uma maneira de economizar energia;
  • Forros de termobloco proporcionam economia no uso de argamassa e cimento, evitam problemas com umidade. Como sua matéria prima é o isopor, possui a grande vantagem de absorver impactos das dilatações térmicas, diminuindo o aparecimento de rachaduras, além de estabilizar a temperatura do ambiente interno.

A utilização dessas medidas, entre muitas outras, são alguns dos fatores que, em um condomínio, podem ser discutidos e planejados em conjunto com os moradores, na tentativa de tornar o prédio cada vez mais sustentável.


Avalie este Artigo

Deixe seu comentário

Avalie este Artigo

Comentários

  • Seja o primeiro a comentar

© 2009 - 2017 Construindo e Reformando Todos os direitos reservados

Página gerada em 0.021 s!